O que é Skirt Brim e Raft em Impressão 3D – Por que e como usá-los

Skirt Brim e Raft como Imprimir

Você já deve saber que a primeira camada de uma impressão é sem dúvida a camada mais importante de todas. Mas não basta ter apenas uma primeira camada perfeita, pois muitas vezes a peça tem área de contato pequena com a mesa ou pequenas áreas. Neste caso mesmo que a primeira camada saia perfeita a chance de se desprender é grande. Perder um pedaço da peça na primeira camada é um problema grave, pois provavelmente irá comprometer o resto da impressão. Além de perder tempo para recomeçar, gera um desperdício de filamento (em outras palavras dinheiro).

Um planejamento e análise antes de começar as impressões é fundamental. Sendo assim vale apena sempre avaliar se é interessante utilizar dos recursos de Brim, Raft e Skirt. Mas não deixe de conferir também nossos artigos sobre Overhang e Suportes.

Se você desconhece esses recursos ou fica na dúvida qual melhor usar fique atento agora para melhorar as suas impressões.

Brim

Brim para Impressão 3D
Brim para Impressão 3D

O Brim é um recurso disponível em todos os fatiadores que criará o aumento de bordas na base da peça anexadas a mesma. Essa borda será criada em toda área externa da peça, respeitando sua geometria. A visualização na peça é como se fossem feitos vários contornos ao redor da peça na primeira camada (pode ser estendido a outras camadas mas normalmente não é necessário).

Como o próprio nome diz, o brim traduzido como borda para o português ajuda a segurar as abas da peça. O empenamento pode ocorrer, mas tende a ficar apenas na borda que será destacada e sacrificada para ajudar na adesão da peça à mesa. O brim pode ser fundamental para ancoragem em alguns casos. De qualquer forma, é sempre recomendável que o usuário determine os pontos de fragilidade e então atuar pró-ativamente inserindo em seu projeto os pontos de ancoragem. Se você não é o projetista da peça pode fazer o uso de programas como o Meshmixer para inserir estas estruturas.

Este contorno plastico é basicamente  é colocado na primeira camada do modelo, proporcionando uma melhor aderência à superfície de impressão. O Brim normalmente não irá além da primeira camada e também não se estenderá a impressão como o Raft,  apenas irá criar uma borda de impressão até uma distância definida.

Onde e quando usar o Brim

O Brim pode ser ou não uma opção melhor que o Raft (também utilizado com objetivo de ajudar na aderência) em certas situações, já que as bordas podem ser impressas muito mais rapidamente e usar menos filamento, mas em compensação não fazem a ligação de plástico com plástico entre as camadas. Entretanto com certeza ele também pode ajudar a evitar empenamentos que podem ocorrer durante impressões utilizando filamentos ABS.

Pensando apenas no empenamento você pode até imaginar que para PLA e PETG XT o Brim seja desnecessário. Engano, pois é muito comum usuarios adiciona-lo. Como esta parte externa não sofrerá pressão das camadas superiores o brim será utilizado para facilitar a retirada da peça da mesa ao final da impressão.

Tanto o Brim quanto o Raft ajudam na aderência e ambos podem ser usados para estabilizar objetos que possuem pontos de contato muito pequenos com a mesa da impressora. Recomendamos fortemente para objetos menores ou mais delicados, pois o Brim pode ser melhor utilizado do que o Raft já que ele tem apenas contato com a borda externa do modelo através de uma camada muito fina.

Outro ponto importante no uso do Brim está associado aos suportes.  O filamento de ABS possui uma tendência maior para sofrer deformação durante o processo de resfriamento, a contração ou warping. Por sua vez os suportes sempre são estruturas frágeis com pontos de fixação pequenos. Quase sem área de contato com a mesa o suportes são partes sempre susceptíveis a quebras e retiradas da mesa pelo bico. Sendo assim colocar o Brim aos suporte é sem dúvida uma boa ideia.

Configuração do Brim no fatiador

Configurar um Brim no Simplify3D é muito simples. Defina o deslocamento (skirt ofsset from part) parao valor 0,00 mm, desta forma não haverá distância entre o skirt e peça. Na sequência, aumente o número de contornos (skirts outline) para 3 ou mais para criar um contorno largo em torno de sua peça. Você poderá aumentar mais o número de anéis de contorno se julgar que é necessário aumentar a área de superfície para obter uma adesão forte.

Configuração do Brim no Simplify3D
Configuração do Brim no Simplify3D

Já no Slic3r basta configurar o parâmetro “Brim width” dentro da aba “Print Settings” e item “Skirt and brim”.

Configuração de Brim no Slic3r
Configuração de Brim no Slic3r

Você também encontrará esta configuração no Fatiador Cura, que fica ao lado direito em “Build Plate Adhesion”.

Configuração do Brim no Cura
Configuração do Brim no Cura

O Brim servirá como âncora e assistente de adesão na primeira camada! Finalizada a impressão, esta borda fina se soltará facilmente da peça sólida, basta fazer o destaque. Caso ela esteja muito presa à peça você a pode transformar o seu brim em um leve skirt, que tem um pequeno espaçamento entre a peça e a borda, desta forma o material derretido do brim poderá ainda fazer um leve contato com a peça. Considere usar valores entre 0,1 e 0,3mm.

Removendo o Brim da impressão 3D

Após a impressão ser concluída aguarde o resfriamento da peça e então comece a destacar a borda da peça. Diferente do Skirt, raramente você precisará de qualquer ferramenta para fazer a retirada. Apenas com a mão você poderá desprende-lo sem muita dificuldade. Alguma rebarba pode ficar e basta uma lixadinha para retirar por completo. Você pode fazer esse processo com uma lixa fina manualmente ou usar uma ferramenta de rebarbação (mais conhecida dremel ou micro retifica).

As vantagens de utilizar o Brim

Para a impressão com filamento ABS está técnica pode evitar problemas de deformação (warp), além de melhorar a adesão da mesa, aumentando as chances de sucesso na impressão. É fácil de remoção, baixo tempo gasto no inicio da impressão e pouco desperdício de filamento também são vantagens grandes em comparação ao Raft. O custo  de filamento para criar o brim mesmo que com vários anéis de borda é desprezível.

As desvantagens do Brim

Podem aparecer pequenos pontos brancos onde foi destacado o brim. Além disso pode ser necessário algum processo de lixamento. Também da mesma forma que no Raft para pequenos componentes sempre existe o risco de quebra da peça ou de danificar alguma parte da impressão.

Raft

Configurando Raft no Simplify3D
Configurando Raft no Simplify3D

O uso deste recurso é mais comum no ABS já que entre os filamentos para impressão 3d é um dos mais utilizados que tem maior contração. O fatiador irá criar uma área de contato com a mesa bem maior do que a peça que virá acima. Com isto, caso a base sofra algum empenamento você não terá problema, pois ele estará na parte de descarte que é o raft. Pense no raft como uma peça de sacrifício.

Da mesma forma que os suportes são feitos em impressoras com duplo extrusor, o raft pode ser construído com o filamento HIPS que é solúvel (o mesmo ocorre com PVA). Você evitará o trabalho de retirar manualmente o raft criado embaixo da peça ou se fizer manualmente ficará mais fácil do que feito com o mesmo material. Tome um cuidado especial, aumentando o espaço entre o Raft e a peça impressa no parâmetro “separation distance”.

O Raft também é utilizado para auxiliar na fixação de peças com áreas de apoio pequeno. Para criar uma base firme  na qual será construída sua peça. Ele será o apoio para objetos maiores que podem são mais pesados, levando equilíbrio e estabilidade durante a impressão.

Além disto, o uso de raft, faz com que as camadas inferiores entrem em contato com outra camada de plástico ao invés do vidro ou alumínio da mesa. Desta forma faz com que haja menos difusão se comparado a impressão na própria mesa.

Configuração do raft no fatiador

Seguem abaixo os termos ou parâmetros técnicos para ajuda-lo a obter o melhor resultado e compreensão no uso dos mesmos:

  • Raft Layers: é o número de camadas de interface impressas na parte superior do Raft. Seu modelo será impresso em cima dessas camadas. Então, normalmente coloca-se de 2 a 3 camadas para garantir uma superfície mais lisa;
  • Raft Offset from Part: é a distância da borda que fica para fora da peça – imagine como um brim do raft;
  • Separation Distance: é o intervalo de ar que fica entre a base e a peça, ou a distância entre o raft e a peça. Neste momento, é preciso balancear o valor para garantir que a peça esteja próxima o suficiente para fazer fusão parcial à camada de Raft (já que ela não pode ser impressa no ar) quando a impressão começar e ter espaço de ar suficiente para garantir que será possível fazer o destaque do próprio raft assim que a impressão terminar. Você pode iniciar os testes com o espaço médio de 0,45mm, que  ajudará a manter a peça parcialmente gruadada ao Raft;

Quando usar o Raft

  • área grande de contato com a mesa: o raft será o sacrficio caso haja empenamento o mesmo ocorrerá na parte que será destacado. Isso ajuda bastante a retirar peças perfeitas na base usando o ABS;
  • maior aderência à mesa: começando a impressão com a inserção do Raft ajudará a obter uma melhor aderência à mesa plástico com plástico. Além disso irá ajudar como uma precaução contra descolamentos e falhas;
  • áreas de contato pequenas: planejando no fatiador você facilmente constata que a peça que irá imprimir tem apoios muito pequenos na base e terá de suportar  uma estrutura pesada que será construída. Nestes casos recomendamos adicionar o Raft como medida de segurança contra falhas.

Removendo o Raft da impressão 3D

Após a impressão ser concluída aguarde o resfriamento da peça e então comece a retira-lo da peça. Você pode começar a usar a própria mão para destacar o raft. Caso esteja muito firme a peça ou peças delicadas o uso de uma boa pinça ou alicate e também um estilete ou faca de hobby irá ajudar bastante.

Faca Hobby

Alicates para remoção de Raft
Alicates para remoção de Raft

Puxe firme em sentido com a pinça e no contrário vá cortando o plástico que une a peça ao raft. Assim que uma ponta começa a ser retirada o restante fica mais fácil. Você ainda pode no final suavizar com o uso de uma lixa d’água deixando a base lisinha.

Quais são as vantagens em utilizar o Raft?

Melhora a adesão com a mesa oferecendo chances maiores de sucesso em impressoes com ABS. Garante maior estabilidade na construção da primeira camada tornando-a mais forte.

Em impressoras que tenham mesa com dimensão grande, mas não tenham o alto nivelamento ou nivelamento ineficiente é extremamente vantajoso, pois o suporte do raft ajudará a ser a peça de sacrifício e as demais camadas ficaram sem defeitos.

Ele proporciona menos problemas de deformação com materiais como o ABS. Também melhora a adesão à mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Além de a saída de impressão ser consistente e a primeira camada mais forte.

Quais são as desvantagens em utilizar o Raft?

A principal desvantagem de se utilizar o raft é perder a superfície lisa que fica na base da peça. Após a retirada do raft você poderá ver além dos veios feitos na peça pela distancia das linhas escolhida poderá ter o esbranquiçamento na dobra de alguma parte. A maior parte dos usuários não se importa, já que está parte não fica aparente na peça ou  se for um problema é uma área fácil de dar acabamento.

Outra desvantagem é fazer um raft muito esprimido e ter dificuldade de retirar o mesmo da peça. Caso ele fique muito denso pode ocasionar até a quebra de alguma parte da peça especialmente em partes pequenas. Dependendo das configurações feitas para o Raft, sua remoção pode ser delicada ou difícil.

Skirt

Configuração de Skirt no Simplify3D
Configuração de Skirt no Simplify3D

O skirt muitas vezes já vem no script inicial do fatiador a ser executado por impressoras. Esta é uma técnica muito comum utilizada na impressão 3D. Basicamente se consiste em fazer um contorno ao redor da peça, mas que não terá contato em nenhum ponto com a peça. A construção refere-se à impressão de uma “saia” em torno de onde ficará a peça antes de começar a imprimi-la. O Skirt tem como principal objetivo regular o fluxo de filamento além de retirar algum plástico que residiu durante muito tempo no bico e já está degradado. É bem usual verificar durante a impressão do skirt a transição de cor entre materiais, se ocorreu a troca de filamentos em nova impressão.

O skirt no seu aspecto é idêntico ao brim, mas com uma distancia entre peça e não tem nenhuma finalidade de ajudar na fixação.

Este é um ótimo momento para avaliar como o equipamento está funcionando e se o material está fluindo corretamente para começar a primeira camada. Fazer o uso do recurso Skirt com apenas algumas camadas impressas a uma velocidade relativamente baixa, permitirá que você possa ver o que está acontecendo. Se a impressão do Skirt for bem sucedida você não precisa fazer mais nada. Entretanto, se isso não acontecer, você pode cancelar a impressão logo no início, fazer alguns ajustes que julgar necessário  e colocar novamente para imprimir, economizando tempo, dinheiro e filamento.

Quando devo usar o Skirt?

Nós aconselhamos utilizar o Skirt em todas as impressões. Mesmo que você tenha configurado poucas voltas ao redor da peça ele é sem dúvida uma técnica que auxilia em algumas funções úteis para preparar a extrusora e detectar qualquer problema de impressão antes de começar a imprimir a peça.

Configuração do Skirt no fatiador

  • Skirt Extruder: o primeiro passo é escolher a extrusora que será utilizada para imprimir o Skirt. Isso permite que você já inicie o processo de impressão com várias extrusoras. Se você quiser todas as suas extrusoras, selecione a opção “All Extruders”;
  • Skirt outline: define quantas voltas de bordas você deseja incluir antes de iniciar a impressão da peça. Como se trata de uma preparação da extrusora e epenas para avaliação recomendamos o uso de 3 camadas. Caso a peça seja muito pequena você pode aumentar para ter tempo suficiente de avaliar se o fluxo está adequado.
  • Skirt Offset from Part: o paramêtro Offset from Part define a distância  entre a bordas e peça. Recomendamos pelo menos 0,5mm para evitar que o skirt se funda com peça o que faria ele se tornar um brim.

Quais são as vantagens do Skirt?

  • auxiliar na identificação de problemas com a extrusora;
  • auxilia na verificação da altura da primeira camada;
  • constata se o adesivo usado está suficiente;
  • detecta problemas durante a impressão;
  • usa menos material se comparadodo ao Raft e Brim;
  • verificação simples antes do início da impressão, o que pode economizar tempo, esforço e dinheiro;
  • ajuda na estabilização do fluxo;
  • retira possíveis plasticos degradados por muito tempo em contato com a extrusora aquecida e troca de cores ou materiais.

Quais são as desvantagens do Skirt?

  • Você pode ter uma pequena rebarba descolada que pode atrapalhar o início da impressão. Por isso ao iniciar uma impressão fique atento, tendo sempre uma pinça em mãos para retirar qualquer fiapo que posso atrapalhar a construção da primeira camada.
  • Praticamente não tem nenhuma visto que o tempo e custo são desprezíveis.

Depois de toda essa abordagem podemos ver que o Raft, Brim e o Skirt são técnicas fáceis de melhorar o resultado de sua impressão 3D. Importante ter em mente que apesar de você usar mais filamento no início quando habilitar tais técnicas, elas lhe ajudam a poupar o filamento de uma impressão que não deu certo por problemas que elas poderiam evitar.

Para se obter os melhores resultados com impressão 3D todo preparo no planejamento seja ela para o uso do Raft, Brim ou Skirt é válido

Então agora você não tem mais desculpas para não imprimir aquela peça difícil que encontrou no thingiverse. Treine bastante e conheça bem os parâmetros que melhor se adequarão à sua impressora e filamentos. Mãos à obra!

 

    X
    É um prazer tê-lo na 3D Fila
    Seja bem-vindo!
    WooChatIcon 0